Comer bem ajuda a enxergar bem?

27/05/2020


Certamente, você já ouviu que cenoura faz bem para os olhos. A ideia, popular principalmente entre nossas avós, conta, sim, 
com um fundo de verdade. Manter uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes é fundamental 
para o bom funcio- namento de todo o organismo e isso inclui os olhos. Ou seja, comer bem ajuda (e muito) a sua visão.

Todo mundo já ouviu falar que esse ou aquele alimento “faz bem para as vistas”. Geralmente, esse é o discurso que as mães e 
as avós utilizam para convencer as crianças a se alimentarem adequadamente.

Porém, são muitos os especialistas que consideram essa teoria bastante sensata. 
Afinal, o que comemos e como comemos influencia diretamente na saúde de uma forma geral e, 
inclusive, dos olhos. O que deve ser levado em consideração é que a cada dia novas pesquisas são
 realizadas e seus resultados devem ser encarados com a devida prudência, o importante é manter uma dieta balanceada.

No caso da saúde ocular, alimentos ricos em vitaminas A, E e C são recomendados, pois são antioxidantes e auxiliam no 
combate a radicais livres e no retardamen- to do envelhecimento. Essas vitaminas são encontradas em alimentos nas cores roxa, vermelha e alaranjada, 
como a abóbora, a jabuticaba e o mamão.

Substâncias como luteína e zeaxantina, que também possuem poderosa função antioxidante, podem ser bastante positivas para a 
saúde ocular. Estão presen- tes nos vegetais amarelos, alaranjados, vermelhos e verdes, como milho, ervilha, rúcula, nectarina, 
laranja, mamão, pêssego, brócolis, couve-de-bruxelas, repo- lho, couve-flor etc...

Outro destaque é o ômega 3, presente principalmente nos peixes, mas também em alimentos 
como nozes, sementes de linhaça e de chia, entre outros. Algumas pesquisas apontam que essa 
substância auxilia na lu- brificação dos olhos e no combate à síndrome do olho seco, atuando na 
preservação do filme lacrimal (cama- da lacrimal muito fina que reveste a superfície ocular).

Assim, são muitos os que consideram que uma ali- mentação que combine essas substâncias é 
excelente na prevenção de doenças da retina e de inúmeros ou- tros danos que podem ocorrer na 
visão, especialmen- te àqueles relacionados à idade. Refeições bem colo- ridas com alimentos naturais 
podem contribuir para a manutenção da saúde ocular.

São eles:
Alho e cebola
O alho e a cebola são alimentos vasodilatadores, o que auxiliam na diminuição da pressão arterial, o que contribui para a manutenção da saúde de todo o cor- po e, consequentemente, também para a saúde dos olhos.

Ovos
Uma pesquisa divulgada no The American Journal of Clinical Nutrition mostrou que o consumo de ovos pode reduzir o risco do surgimento da degeneração ma- cular em idosos, já que esse alimento possui substâncias foto-oxidantes, como luteína e zeaxantina. Entretanto, antes de aumentar o consumo de ovos, é im- portante que o paciente verifique seus níveis de colesterol, entre outros.

Óleo de linhaça
O óleo de linhaça é fonte de vitamina E, dos ácidos graxos ômega 3, ômega 6 e ômega 9. Existem relatos de que pode contribuir para reduzir alguns incômodos oculares como sensação de ardência, coceira e sensibilidade à luz.

Azeite extravirgem
O azeite extravirgem é outro alimento rico em ômega 3. Estudo publicado recentemente na revista científica Archives of Ophtalmogy mostrou que a ingestão de 100 ml de azeite por semana pode reduzir ou, ao menos, estabilizar a evolução da degeneração macular.

Mirtilos, amoras e cerejas
As frutas roxas e vermelhas têm função antioxidante e combatem radicais livres. Elas são fontes de Vitamina C e flavonóides, que podem contribuir no controle da degeneração macular.

Alimentos que precisam ser evitados
Quando se fala em alimentação e saúde dos olhos, devemos considerar não só os alimentos que devem ser ingeridos, como também os que precisam ser evi- tados. Essa recomendação abrange, especialmente, pacientes que apresentam doenças sistêmicas que podem afetar a saúde dos olhos, como hipertensão e diabetes, que podem causar glaucoma secundário (conhecido como neovascu- lar) e as retinopatias hipertensiva e diabética.

Pacientes nessas condições devem evitar alimentos que contenham corantes, conservantes, realçadores de sabor (glutamato monossódico) e àqueles que contêm gordura trans, pois são inflamatórios.

Porém, como também dizem as mães e avós, prudência e caldo de galinha não costumam fazer mal para ninguém. O médico, mais especificamente, neste caso, o médico oftalmologista, é o profissional que melhor tem condições de sugerir mudanças alimentares que podem contribuir para sua saúde ocular. Na próxima consulta, converse com ele a respeito!